CARREIRA NO BRASIL

icone_flags_engkish.png

English

Música

"O Combate"

de Raffaello de Banfield

Carreira no Brasil

De volta de sua estada no Joffrey Ballet de Nova York, Nora retornou a suas funções como Primeira Bailarina no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Foi então convidada a participar da Companhia Brasileira de Ballet, fundada por Paulo e Regina Ferraz no Rio de Janeiro. Integrou por um ano esta companhia, sob a direção de Arthur Mitchell, que foi Primeiro Bailarino do New York City Ballet e o primeiro negro a participar de uma companhia de ballet clássico nos Estados Unidos, cujo coreógrafo era George Balanchine.

Mitchell fez para a Companhia Brasileira de Ballet diversas criações coreográficas, das quais Nora participou como figura principal.
Um ano depois, Hector Zaraspe veio dirigir o Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e fazer remontagens. Para Nora, Zaraspe remontou o pas-de-deux de “Don Quixote”, com Luis Fuentes, bailarino espanhol radicado em Nova York, que fora colega de Nora no Joffrey Ballet.

Zaraspe também apresentou com Nora o pas-de-deux de “O Corsário”, que foi levado nessa ocasião pela 1ª vez no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, também com Luis Fuentes como partner. Depois, George Skibine chega ao Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro para montar “ O Pássaro de Fogo” e “Daphnis e Chloé”. Nora fez o principal papel feminino das duas coreografias.

No ano seguinte, foi a vez de Oscar Araiz, coreógrafo argentino, chegar ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Araiz escolheu Nora para protagonizar os ballets “Cantabile”(pas-de-deux), “Romeu e Julieta”(ballet em 2 atos) e “O Mandarim Maravilhoso”. Nora prosseguiu sua carreira no Theatro Municipal e em 1984 ganhou o “Golfinho de Ouro” na categoria Dança, prêmio do Governo do Estado do Rio de Janeiro para diversos setores artísticos. Foi convidada pelo Ballet Contemporâneo (RJ), para estrelar a “Canção da Terra” de Fábio de Mello. Trabalhou também com o grupo Nós da Dança de Regina Sauer.

Em 1997 participou da tournée brasileira do espetáculo “Imagens Musicais”, com o pianista Braz Velloso e coreografia de Dalal Achcar. Em 1998 dançou em várias cidades brasileiras e lançou seu vídeo “Nora Esteves in Foco”, o 1º vídeo de ballet clássico feito no Brasil. Trabalhou com Deborah Colker na série “Coreógrafos Brasileiros” no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, na coreografia “Paixão”.

Atualmente dá aulas no Centro de Movimento Deborah Colker e na Companhia Deborah Colker.

Criou a coreografia para o musical “Império”, com direção, texto e letras de Miguel Falabella e música de Josimar Carneiro.

Daphnis e Cloé

Nora Esteves  - O Mandarim Maravilhoso

O Mandarim Maravilhoso

O Galo de Ouro

Nora Esteves - Cantabile

Cantabile

Logo.jpg

© 2019 by Nora Esteves